Cacá Diegues conta sua experiência nos eventos de Nova York e Paris

A mostra retrospectiva dos filmes no Lincoln Center, em Nova York, que eles chamaram de "Saga brasileira: aventuras cinemáticas de Carlos Diegues”, foi um sucesso. Durante uma semana, eles passaram os 14 filmes previstos, de “Ganga Zumba” a “O maior amor do mundo”. A mostra foi apresentada por Richard Pena, ex-diretor do Lincoln Center e professor de cinema na Universidade de Columbia. Estive presente na sala em algumas apresentações e, depois das projeções, em debates com o público. Quase todas as projeções foram realizadas em salas sempre cheias. Introduções e debates foram coordenados com a participação de Richard Pena, Dennis Lim, atual diretor do Lincoln Center, e Kevin Smith, crítico do jornal New York Times.

 Em Paris, o Festival Brasileiro de Cinema me prestou uma homenagem especial e passou 10 de meus filmes. A inauguração foi no dia 16 de abril, antes da passagem de "Gonzaga", de Breno Silveira, o primeiro filme em competição no Festival. Recebi o troféu em minha homenagem das mãos do cineasta Costa-Gavras, em presença de vários representantes do cinema francês, do embaixador do Brasil em Paris, José Mauricio Bustami, e de Eric Le Roy, diretor do CNC (Centre National de la Cinématographie francês). Nos meus agradecimentos, citei, sobretudo, a presença na sala da bela atriz Alexandra Stewart, uma das grandes estrelas da Nouvelle Vague. Nesse pequeno discurso, disse que recebia o troféu como uma homenagem ao Cinema Novo e ao novo cinema brasileiro feito pelos jovens cineastas de hoje. Ainda em Paris, participei da introdução e dos debates de alguns de meus filmes, incluindo “Bye Bye Brasil”, apresentado por Katia Adler, diretora do festival.

                                                                       Carlos Diegues

 Fotos: (acima) Programa da Retrospectiva Lincoln Center, (abaixo, esquerda) Cacá Diegues e Costa-Gavras e (abaixo, direita) homenagem recebida em Paris.

 

 

 

 

 

 

Volta