Comentário para a TV Multishow, em julho de 2005
"Cabra Cega"
Carlos Diegues
Não deixe de ver "Cabra Cega", um filme brasileiro de Toni Venturi.

Toni Venturi estudou um certo tempo no Canadá, e depois voltou ao Brasil para fazer um documentário sobre Luis Carlos Prestes, chamado "O Velho". O longa-metragem anterior dele, "Latitude Zero", de 2002, merecia ter sido alvo de mais atenção, sendo uma original metáfora política e humana, inteligente e perturbadora, com um modo de filmar muito pessoal, um olhar cinematográfico novo e de raro talento.

"Cabra Cega", seu terceiro filme, absorve, mistura e equilibra a natureza dos dois anteriores, entre o desejo de ser um documentário político e a solidariedade com a paixão de seus personagens.

Neste filme, passado durante a ditadura militar, nos anos 70, Toni Venturi nos narra alguns dias na vida de um guerrilheiro urbano que, ferido em combate, se esconde num apartamento de São Paulo, um aparelho de sua organização, até que possa voltar à ação.

Entre discussões em torno de teses políticas e trechos documentais de acontecimentos públicos da época, assistimos à evolução das relações desse guerrilheiro, densamente interpretado por Leonardo Medeiros, com as poucas pessoas com que tem contato, mas sobretudo com a mulher encarregada de cuidar dele, interpretada com extrema sensibilidade por uma grande atriz, já revelada em "Latitude Zero", Débora Duboc.

Como todos sabemos, o cinema é sempre um espelho do país onde ele é feito. No Brasil, onde ele nunca chegou a ser uma atividade permanente, este espelho está sempre partido, nele nos vemos fragmentados, apenas parcialmente visíveis, pela falta de continuidade na produção.

Filmes como "Cabra Cega" são indispensáveis para que nos reconheçamos, para que saibamos de onde viemos e para onde podemos ir, sem deixar que se repitam as mesmas desgraças do passado.

Mas "Cabra Cega" não é uma tese política filmada, um mero depoimento sobre acontecimentos históricos. Ele é principalmente um filme sobre o drama da vida em comum, da convivência entre os seres humanos, da necessidade da tolerância e do afeto, seja no registro épico da política, seja no registro trágico da vida de cada indivíduo.

"Cabra Cega" merece ser visto por você.
Volta