Filmes de Carlos Diegues serão restaurados.

A memória do cinema está comprometida, pois seus filmes estão se acabando. Calcula-se que metade dos filmes produzidos no mundo inteiro estão perdidos.

   O projeto de restauração dos filmes do cineasta Carlos Diegues visa preservar esta memória, para que nossos filhos possam viver tempos antigos e ter consciência da nossa história. Queremos com este projeto preservar a memória não só do Cinema, mas a memória cultural do país.

    "Quando o Carnaval Chegar", "Joanna Francesa", "Xica da Silva" e "Chuvas de Verão" serão os primeiros de Carlos Diegues a serem restaurados. Os filmes tem grande importância na história cinematográfica do país. Em 1969, sob o recrudescimento da ditadura militar, Cacá deixou o Brasil, para viver na Itália e em seguida na França. De volta ao país, dirigiu “Quando o Carnaval Chegar” (1972) e “Joanna Francesa” (1973). Com “Xica da Silva” (1976), conclui um tríptico alegre e alegórico contra o autoritarismo, produz seu maior sucesso popular e prenuncia a abertura política. Com a redemocratização, dirige mais dois de seus maiores sucessos: “Chuvas de Verão” (1978) e “Bye Bye Brasil” (1980).

   O Projeto foi aprovado pelo Minc/Pronac, através da Secretaria do Audiovisual.

   Os filmes (por Carlos Diegues)

  . Quando o Carnaval Chegar (1972)

Uma ótima idéia prejudicada pela então contemporânea cultura de resistência e pela falta de um roteiro mais consistente; mas este filme tem as sementes do que acho ter feito de melhor depois dele; foi um privilégio e uma graça trabalhar com Nara, Chico e Betânea, registrar esses gênios em película, para sempre.

 . Joanna Francesa (1973)

Um turning-point, um momento de virada em direção a um cinema mais temporal, dramatúrgico, íntimo, elaborado em cima de sua própria encenação e não das idéias que a precedem; um tributo à literatura e à memória da decadência bárbara; infelizmente, não fez o sucesso que eu gostaria que tivesse feito, mas é um de meus filmes prediletos.

 . Xica da Silva (1976)

O meu maior sucesso popular no Brasil, onde florescem inteiras as idéias sobre um certo espetáculo cinematográfico que sempre procurei; Jeanne Moreau, ao vê-lo em Paris, me disse que era "um Lola Montès selvagem", o que eu gostei muito de ouvir, pois adoro Ophuls; neste filme, encontrei Zezé Motta, uma irmã querida desde então, uma princesa do Brasil.

 . Chuvas de Verão (1978)

Eu estava montando Xica da Silva quando comecei a fazer psicanálise; Chuvas de Verão, dedicado a meus filhos Isabel e Francisco, é um fruto dela, o meu único filme totalmente escrito apenas por mim, sem nenhum parceiro; às vezes, me dá vontade de refazê-lo sob o meu ponto de vista de hoje, agora que estou chegando à idade de seus protagonistas.
  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Volta